Viapol Classic Poliéster

1. Descrição

Manta asfáltica produzida a partir da modificação física do asfalto com uma mescla de polímeros especiais, que proporcionam à manta, excelente aderência, durabilidade e resistência. Estruturada com um não-tecido de filamentos contínuos de poliéster, resinado e termofixado, garante perfeita impermeabilização da área a ser utilizada.
Fornecida em bobinas com espessura de 3 e 4 mm.

2. Características Técnicas
Característica Unidade

Viapol Classic

Poliéster

Carga máxima ruptura longitudinal (mín.) N/5 cm 350
Carga máxima ruptura transversal (mín.) N/5 cm 250
Alongamento mínimo na longitudinal % 25
Alongamento mínimo na transversal % 25
Absorção d’água (máx.) % 1,5
Flexibilidade à baixa temperatura °C 0
Resistência ao impacto J-Joule 2,45
Resistência ao puncionamento estático Kg 25
Escorrimento ao calor (mín.) °C 105
Estabilidade dimensional (máx.) % 1
Flexibilidade após envelhecimento (mín.) °C <10

 

3. Utilização

Classic Poliéster é uma manta asfáltica indicada para impermeabilização de varandas e terraços, lajes sob telhados, barriletes, barreira de vapor e nos sistemas de dupla manta.
Para outras aplicações, consulte o departamento técnico.

4. Instrução de Uso

Preparação da superfície


A superfície deverá ser previamente lavada, isenta de pó, areia, resíduos de óleo, graxa, desmoldante, etc.
Sobre a superfície horizontal úmida, execute regularização com caimento mínimo de 1% em direção aos pontos de escoamento de água, preparada com argamassa de cimento e areia média, traço 1:3, utilizando água de amassamento composta de 1 volume de emulsão adesiva Viafix e 2 volumes de água para maior aderência ao substrato. Essa argamassa deverá ter acabamento desempenado, com espessura mínima de 2cm.
Na região dos ralos, crie um rebaixo de 1cm de profundidade, com área de 40×40 cm com bordas chanfradas, para que haja nivelamento de toda a impermeabilização após a colocação dos reforços previstos neste local.
Todos os cantos e arestas deverão ser arredondados com raio aproximado de 5 cm a 8 cm.
Nas áreas verticais em alvenaria, execute chapisco de cimento e areia grossa, traço 1:3, seguido da execução de uma argamassa desempenada, de cimento e areia média, traço 1:4, utilizando água de amassamento composta de 1 volume de emulsão adesiva Viafix e 2 volumes de água.
Nos vãos de entrada das edificações (portas, esquadrias, etc.) a regularização deverá avançar no mínimo 60 cm para o seu interior, por baixo de batentes e contra-marcos, respeitando o caimento para as áreas externas, exceto para áreas internas com pisos em madeira ou degradáveis por ação de umidade. Recomenda-se que as áreas externas tenham cota no mínimo 6 cm menor que as cotas internas, tanto no nível da impermeabilização como no nível do piso acabado.
Os ralos e demais peças emergentes deverão estar adequadamente fixados de forma a executar os arremates.
Aplicação do produto


Aplique sobre a regularização seca uma demão de primer Viabit, Adeflex ou Ecoprimer, com rolo ou trincha e aguarde secar por no mínimo 6 horas.
Alinhe a manta asfáltica Classic Poliéster em função do requadramento da área, procurando iniciar a colagem no sentido dos ralos para as cotas mais elevadas.
Com auxílio da chama do maçarico de gás GLP, proceda a aderência total da manta Classic Poliéster. Nas emendas das mantas deverá haver sobreposição de 10 cm que receberão biselamento para proporcionar perfeita vedação.
Execute as mantas na posição horizontal, subindo 10 cm na posição vertical.
Alinhar e aderir à manta na vertical, descendo e sobrepondo em 10cm na manta aderida na horizontal.
A manta deverá ser aderida na vertical 30cm acima do piso acabado.
Após a aplicação da manta asfáltica, faça o teste de estanqueidade, enchendo os locais impermeabilizados com água e mantendo o nível por no mínimo 72 horas.
Observação: No caso de aplicação com asfalto quente, consultar o site www.viapol.com.br – AtivWeb.


Camada Separadora:


Evita que os esforços de dilatação e contração da argamassa de proteção mecânica atuem diretamente sobre a impermeabilização.
Como camada separadora utilize filme plástico de 24 micra de espessura.
Argamassa de Proteção Mecânica:


Horizontal
Execute a argamassa de proteção mecânica de cimento e areia traço 1:4, desempenada com espessura mínima de 3cm. Esta argamassa deverá ter juntas perímetrais com 2 cm de largura, preenchidas com argamassa betuminosa, traço 1:8:3 de cimento, areia e emulsão asfáltica Vitkote. Caso a proteção mecânica seja o piso final, faça juntas formando quadros de no máximo 2,0m x 2,00m, preenchido com argamassa betuminosa conforme descrito.
Vertical
Sobre a impermeabilização, execute chapisco de cimento e areia, traço 1:3, seguido da execução de uma argamassa desempenada de cimento e areia média, traço 1:4, utilizando água de amassamento composta de 1 volume de emulsão adesiva Viafix e 2 volumes de água. A argamassa deverá ser armada com tela plástica, subindo 10 cm acima da manta asfáltica.
Acabamento


PP – Polietileno em ambas as faces, para colagem com maçarico;
AA – Areia em ambas as faces para colagem com asfalto quente;
AP – Areia/polietileno – Polietileno na face de colagem para aplicação com maçarico.


Recomendações


Toda impermeabilização efetuada em ambientes fechados deve ter ventilação forçada. Se houver a necessidade de utilização de maçarico na aplicação do sistema impermeabilizante, para maior segurança, o botijão de gás deverá permanecer fora do ambiente.
Consulte os seguintes catálogos: Viafix, Adeflex, Viabit, Ecoprimer.

5. Embalagens

Bobina de 1m de largura e 10m de comprimento;
Paletes com 30 bobinas de manta 3 mm – 300 m²;
Paletes com 25 bobinas de manta 4 mm – 250 m².

6. Estocagem

O produto tem validade de 5 anos, a partir da data de fabricação, desde que armazenado na posição vertical, nas embalagens originais e intactas, em local seco, ventilado e longe de fontes de calor.

7. Consumo

O consumo estimado é de 1,15m²/m² de área, considerando sobreposições e perdas por recortes de detalhes.

8. Normalização

Atende ao tipo II-C segundo a NBR 9952/2007, norma vigente.
Atende ao tipo II segundo a NBR 9952/98, norma substituída.

9. Nota

As informações contidas nesta ficha baseiam-se em nosso conhecimento para a sua ajuda e orientação. Salientamos que o desempenho dos nossos produtos depende das condições de preparo de superfície, aplicação e estocagem, que não estão sob nossos cuidados. O rendimento prático depende da técnica de aplicação, das condições do equipamento e da superfície a ser revestida. Não assumimos assim, qualquer responsabilidade relativa ao rendimento e ao desempenho de qualquer natureza em decorrência do uso indevido do produto.