Cimentos e Argamassas

Saiba um pouco mais sobre este produto, imprescendível em qualquer construção: desde o seu surgimento até a chegada no Brasil. Conheça também as principais diferenças entre cimento, cal e argamassa, além de todos os tipos e classificações do cimento e toda a nossa linha de produtos.

A História do Cimento

Tecnicamente, podemos definir cimento como um pó fino, com propriedades aglomerantes, aglutinantes ou ligantes, que endurece sob a ação de água. A arquitetura monumental do Egito Antigo já usava uma liga constituída por uma mistura de gesso calcinado que, de certa forma, é a origem do cimento. As grandes obras gregas ou romanas, como o Panteão e o Coliseu, foram construídas com o uso de certas terras de origem vulcânicas, com propriedades de endurecimento sob a ação da água.

O passo seguinte aconteceu em 1758, quando o inglês Smeaton consegue um produto de alta resistência, por meio da calcinação de calcários moles e argilosos. Em 1918, o francês Vicat obtém resultados semelhantes aos de Smeaton pela mistura de componentes argilosos e calcários. Ele é considerado o inventor do cimento artificial.

Seis anos depois, outro inglês, Joseph Aspdin patenteia o ”Cimento Portland”, que recebe este nome por apresentar cor e propriedades de durabilidade e solidez semelhantes às das rochas da ilha britânica de Portland.

Hoje, o cimento Portland é um material rigorosamente definido, e sua fabricação segue princípios bem estabelecidos. A grande versatilidade de emprego e notáveis qualidade de adaptação a novos produtos e métodos construtivos aumentam, a cada dia, sua ampla gama de aplicações.

O cimento no Brasil

A primeira fábrica de cimento Portland iniciou atividades no Brasil em 1926. Quase 30 anos depois, teve origem a produção de cimento branco, devido à necessidade de um cimento para fins especiais, que proporcionasse mais beleza e conforto, através do tratamento térmico das edificações.

O primeiro forno de cimento branco entrou em operação em 1952, sendo distribuído ao mercado, a partir de 1954, com a marca Irajá, que integra a linha de produtos da Votorantim Cimentos.

Em 1984, foi lançado o cimento branco estrutural, com o objetivo de atender construtores de obras de concepção arrojada, nos serviços de concreto aparente, pré-fabricados e pisos de alta resistência.

Tipos de Cimento

Além do tradicional Cimento Portland ou Cinza (CPII-E-32, CPIII-32-RS, CPP-Classe G, CPV-ARI-RS, CPV-ARI-PLUS, CPV-ARI-PLUS-RS, CPV-ARI-FÁCIL E CPII-E-40), existem diversos tipos de cimento disponíveis no mercado, entre os quais podemos destacar:

Cimento Branco: versatilidade de aplicações

Adequado aos projetos arquitetônicos modernos, o cimento branco oferece a possibilidade de escolha de cores, uma vez que pode ser associado a pigmentos coloridos, garantindo beleza, praticidade, economia e durabilidade.
A cor branca é obtida a partir de matérias-primas com baixos teores de óxido de ferro e manganês, em condições especiais durante a fabricação, tais como resfriamento e moagem do produto e, principalmente, utilizando o caulim no lugar da argila.

Cal: um produto de múltiplas utilidades

A cal é um produto de variadas aplicações que vão muito além da Construção Civil. Está presente na produção de Aço, Papel e Celulose, destacando-se como um produto químico versátil e de grande utilidade em diversos segmentos industriais.
A obtenção da cal ocorre em fornos que transformam a calcita (carbonato de cálcio) em cal (óxido de cálcio), com posterior hidratação, no caso da cal hidratada (hidróxido de cálcio). A era da produção em escala da cal no Brasil teve início na década de 40, quando algumas empresas, entre elas a Votorantim, completaram suas instalações com fornos verticais metálicos.

Argamassas

Argamassas são misturas aglutinantes, com areia e água, empregadas no assentamento de alvenaria, tijolos e pisos cerâmicos, entre outros materiais de construção, das quais resultam massas de consistência mais ou menos plástica, que endurecem com o tempo.
A cal umedecida e misturada à areia é uma argamassa conhecida desde a antiguidade e muito usada para fabricação de tijolos.

Classificação do Cimento Portland

Cimento Porland é a denominação convencionada mundialmente para o material denominado Cimento. Assim, todo Cimento é Cimento Portland.
Para uma correta melhor aplicação do produto em sua obra, conheça suas principais classificações e características:

Cimento Portland para Aplicações Gerais

CPII-E-32
Pertencente à Classe 32, com resistência à compressão do mínimo de 32MPa aos 28 dias, exigida pelas normas brasileiras e composto de clínquer produzido com rigoroso controle de qualidade, escória de alto forno, gesso e materiais carbonáticos; é recomendado para aplicações em argamassas de assentamento e revestimento, argamassa armada, preparo de concreto simples, armado, protendido, projetado, rolado, magro, concreto massa, elementos pré-moldados e artefatos de concreto, pisos e pavimentos de concreto, solo-cimento dentre outras.

CPIII-32-RS
Pertencente à Classe 32, com resistência à compressão mínima acima dos 32MPa exigida pelas normas brasileiras, apresenta alta resistência aos sulfatos e baixo calor de hidratação, assim como alta resistência a expansão devida a reação álcali-agregado. Composto de clínquer de alta qualidade, escória de alto forno, gesso e materiais carbonáticos e de uso geral; é recomendado no preparo de argamassas de assentamento, revestimento, argamassa armada, preparo de concreto simples, armado, protendido, projetado, rolado, magro, concreto massa, pisos industriais, pavimentos de concreto, solo-cimento e principalmente em argamassas e concretos sujeitos a ataques de agentes agressivos, obras sujeitas à reação álcali-agregado e onde é desejado baixo calor de hidratação.

Cimento Portland para Aplicações Especiais

CPP-Classe G
Com propriedades reológicas necessárias nas condições de pressão e temperaturas elevadas e composto de clínquer e gesso de alta qualidade; é utilizado na cimentação de poços petrolíferos, prevenindo as indesejáveis migrações dos fluídos de perfuração ao meio ambiente, altamente poluentes ao ecossistema marinho, além de proporcionar excelente estabilidade e durabilidade ao poço, sob ambientes de elevados níveis de profundidade, pressão e ataques químicos. Também é empregado na fabricação de isolantes de eletricidade.

CPV-ARI-RS
De alta resistência inicial, resistência aos sulfatos, resistente a expansão devida a reação álcali-agregado e moderado calor de hidratação, com resistência à compressão acima de 50MPa aos 28 dias de idade; é composto de clínquer de alta eficiência, derivado de calcário da mais alta pureza e homogeneidade, com adição de escória de alto-forno e gesso. É indicado para o preparo de concreto de alto desempenho, concreto simples, armado, protendido, projetado, elementos premoldados e artefatos de concreto, peças de concreto submetidos à cura térmica, pisos industriais de concreto, pavimentos de concreto, argamassa armada, argamassas industriais, argamassas e concretos submetidos ao ataque de meios agressivos como estações de tratamento de água e esgotos, barragens, obras em regiões litorâneas etc.

CPV-ARI-PLUS
É um cimento de coloração clara e uniforme com valores aproximados de resistência à compressão a 1 dia de idade igual a 29MPa, e aos 28 dias acima de 55MPa, permitindo desmoldagens antecipadas e propiciando elevado desempenho nos concretos e argamassas. É composto de clínquer de alta eficiência, derivado do calcário da mais alta pureza e homogeneidade, e gesso; é muito recomendado no preparo de concreto de alto desempenho, concreto simples, armado, protendido, projetado, elementos pré-fabricados e artefatos de concreto com desforma rápida, peças de concreto submetidos à cura térmica, pisos industriais de concreto, pavimentos de concreto, argamassa armada, argamassas industriais, elementos arquitetônicos estruturais e outras aplicações que necessitem de resistência inicial elevada e desforma rápida.

CPV-ARI-PLUS-RS
De alta resistência inicial, com moderada resistência aos sulfatos, moderado calor de hidratação, com resistência à compressão acima de 50MPa aos 28 dias de idade, é composto de clínquer de alta eficiência, derivado de calcário de elevada pureza e homogeneidade, com adição de escória de alto-forno classificada e gesso. É muito recomendado no preparo de concreto dosado em central, concreto de alto desempenho, obras de recuperação estrutural e industrial, concreto projetado, concreto armado, concreto protendido, elementos premoldados de concreto, pisos industriais de concreto, pavimentos de concreto, argamassa armada, argamassas e concretos submetidos ao ataque de meios agressivos como estações de tratamento de água e esgotos, obras em regiões litorâneas, obras especiais, etc.

CPV-ARI-FÁCIL
De fácil utilização, alta resistência inicial, coloração clara e uniforme com valores aproximados de resistência à compressão a 1 dia de idade igual a 29MPa, e aos 28 dias acima de 55MPa, é composto de clínquer de alta eficiência, derivado de calcário da mais alta pureza e homogeneidade. É recomendado no preparo de concreto e argamassa para produção de artefatos de cimento em industrias de médio e pequeno porte, como fábricas de blocos para alvenaria, blocos para pavimentação, tubos, lajes, meio-fio, mourões, postes, elementos arquitetônicos dentre outros. Pode ser utilizado no preparo de concreto e argamassa em obras desde as pequenas construções até as edificações de maior porte e outras aplicações que necessitem de resistência inicial elevada e desforma rápida.

CPII-E-40
Pertencente à Classe 40, com resistência à compressão mínima acima dos 40MPa, exigida pelas normas brasileiras, é composto de clínquer produzido com rigoroso controle de qualidade, escória de alto forno, gesso e materiais carbonáticos. É recomendado sua aplicação no preparo de concreto simples, armado, protendido, projetado, rolado, elementos premoldados e artefatos de concreto, pisos e pavimentos de concreto, argamassa armada, argamassas industriais etc.

Fontes: Concretex / Votorantin Cimentos